Sunday, July 20, 2008

RIO SOZINHO




O MÊS E O ANO RECUSO-ME A LEMBRAR. MAS O DIA... SÓ SEI POR QUE OUVI A MINHA MÃE FALAR. QUANDO NASCI, EU NÃO CHOREI, DEI UM GRITO DE DESESPERO. TALVEZ PREVENDO O QUE IRIA ME ACONTECER....O INFERNO AGORA É PASSADO। ENFIM CHEGO AO PARAÍSO. O RIO SOZINHO SEGUE O SEU CURSO. ELE PASSA, TERMINA E RENASCE A VIDA. SORTE DELE! PORQUE ELE NÃO É EU. O ENCONTRO DO PASSADO E DO PRESENTE FUNDEM-SE COM UM FUTURO INCERTO. HISTORIAS QUE SE REPETEM. EU NÃO VIVI OS MEUS SONHOS MAS, REALIZEI OS DOS OUTROS.

Amazônia


A dor e o prazer de filmar na Amazônia para quem não conhece ou não está acostumado

A dor: sol quente, chuva repentina, calor intenso, transporte, as cobras que podem aparecer, as carapanãs e as carapanãs.
O prazer: estar num lugar sem frescuras, ter as mais belas imagens da vida, a hospitalidade do caboclo amazônida, o ar puro que emana das majestosas árvores seculares, o saboroso Jaraqui com farinha de mandioca, a pimenta com tucupi e o banho no rio.