Wednesday, August 5, 2009

JANELA DOS SONHOS




Pelo olhar de menino






olhe o tempo desprendido

e verá que tudo é apenas história







OLHOS DE MENINO


OLHE A VIDA DESPRENDIDA

E VERÁ O SORRISO DE UM MENINO


OLHE A VIDA DESPRENDIDA

E VERÁ A VIDA PASSAR DEPRESSA


OLHE A VIDA DESPRENDIDA

E VERÁ QUE TUDO É UM SONHO


OLHE A VIDA DESPRENDIDA

E VERÁ UM MENINO DESCOBRINDO O AMOR


OLHE A VIDA DESPRENDIDA

E VERÁ PELOS OLHOS DE UM MENINO


OLHE A VIDA DESPRENDIDA

E O TEMPO CONTARÁ APENAS UMA HISTÓRIA


Autor: Izis Negreiros













Quase sempre por detrás das câmeras há cenas inesquecíveis, finalmente eu assino a direção de um filme que detém um valor sentimental e que remete aos tempos de minha infância, seja contando histórias ou seja ouvindo alguém contar...









Friday, May 22, 2009

ILUSÃO





O tema “degradação social da família” abordado em Eçoí, palavra usada pela etnia Saterê-mauê para dar sentido a utopia do homem Por essa linha de partida eu quero mostrar visualmente um espelho da vida social da maioria das famílias brasileiras que vivem em lugares sem o mínimo de infra-estrutura. Na luta constante por uma perspectiva de vida melhor o núcleo familiar acaba sofrendo todo o tipo de degradação social, na busca incansável de um futuro melhor Toda história começa com o sonho de Amâncio na busca de uma vida melhor na cidade grande, mas seus sonhos viram pesadelos depois que ele vê sua família destruída sofrer todo tipo de degradação social, envolvendo drogas, alcoolismo, prostituição, traição. A primeira versão do roteiro foi escrito por mim em 2004, a idéia original é de Hilmar Pinto, a princípio ele pediu-me para que fosse roteirizada a idéia, passado muito tempo o roteiro retornou novamente para minhas mãos e o meu maior desafio era transformar um roteiro de longa-metragem para média-metragem, sem ter que perder a principal essencia e seus conflitos, eu tive que reconstruir quase tudo e vê-lo limitado a 32'. O desafio foi aceito e sem arrependimento, hoje eu tenho orgulho de apresentar um pouco do Eçoí para vocês, a minha maior inspiração para produzir esse filme foi experimentar pela primeira vez o kistch, linguagem estética muito usada nos filmes latinos e consiste em para muitos ser considerada uma linguagem dita “brega”. A escalação dos atores foi essencial para termos um bom trabalho de elenco e contou com uma dobradinha entre os atores amazonenses Gomes de Lima e Rosa Malagueta. Entre os atores que me surpreenderam estão Luciana Procópio, Jean Nogueira, Leonardo Marcell, como eu falo em minhas próprias palavras “agarraram o personagem e ficaram para si”.


Saturday, May 9, 2009

CURIOSIDADES E BONS EXEMPLOS DA INCREDIBLE ÍNDIA



Interessante a seta indicando apenas onde fica o banheiro masculino, isso lembra algo conhecido?














Pense na costa do coitado que estava levando esse monte de coco Eu senti pena dele, mas ele aceitou que eu fotografasse sua bike peso pesado








Já pensou se essa moda pega no Brasil, trabalhar com os pés muito a vontade। Que felicidade।





















Na Índia estudantes caminham kilometros para ir à escola, enquanto no Brasil, a escola é ali na esquina, nós pagamos altos impostos, o moleque tem direito a farda, livros, abusar do professor e com tudo isso falta à aula e repete o ano।
























Bom exemplo que a Incredible Índia dá... Essas placas também poderiam existir no Brasil, pelo menos aqui na Amazônia falta em todo lugar।












Isso não é lixo indiano, é lixo ocidental deixado pelos turistas do hotel que passei uma noite।






























Aqui nem tudo é por dinheiro, mas vale tudo para não cortar mais uma árvore, até mesmo remendar esse pedaço de pau.


























Procura-se sutiã e calcinha desesperadamente, foi o que aconteceu comigo em Gokarna/Goa, depois de eu rodar todas as lojas da praia e não consegui comprar nenhuma peça íntima eu acabei apelando para lavar as minhas calcinhas sujas no hotel, foi nesse momento que eu me lembrei que a mulherada indiana não costuma usar calcinha, principalmente se estiver de sari, para você mulher que vier para a Índia, não esqueça de trazer o estoque de calcinha e sutiã, porque o meu não deu.

































Eu não vi putaria brasileira e nem indiana na Índia, mas putaria européia SINCERAMENTE sem palavras। Somente nas praias de Goa o que havia de gringa dando sopa, não era brincadeira e sem contar que só faltava colocar uma placa de identificação na comissão de frente escrita “use-me e abuse-me”. Depois somos nós brasileiros que pegamos à fama de gostar da putaria. Sem contar que num país onde o corpo feminino não deve estar exposto por uma razão muito obvia por se tratar de uma terra de homens, a mulher não deve provocar situações constrangedoras em torno de si, principalmente estrangeiras, usar biquíni é algo muito complicado.






















Esse é o planeta chamado Incredible Índia:-)))