Saturday, March 28, 2009

O ATO DE VER E PENSAR

Tall Kaveri no templo River Caveri Origination, se você não sabe onde fica o céu, esse lugar está no caminho.

A suástica é muito diferente do símbolo nazista que costumamos ver em livros de história, mas aqui na Índia ela faz parte integral no hinduísmo é uma marca para as pessoas ou coisas que trazem sorte। Sandra Bose escreveu sobre a forma grosteca que este símbolo sofreu com o nazismo. Este foi fotografado em River Caveri Origination.

Este lugar chama-se Budhist Monestry e fica em Coorg. Ele é belo por fora, mas por dentro abriga uma paz de espírito que somente sentimos quando tocamos o chão e levamos nosso pensamento para Deus.


Mysore Palace na cidade de Mysore. Olhar para ele é como olhar para um passado que não vivemos, mas é uma verdadeira viagem mental por um mundo que fica apenas em nossa imaginação, este lugar foi criado pelas mãos de homens com almas sensíveis para arte. Infelizmente não são permitidas fotografias internas, mas este lugar ficará para sempre em minha memória.

TECNOLOGIA INDIANA

Não tem OI, VIVO, CLARO e TIM que chegue aos pés da TATAINDICOM, internet e celular na Índia é coisa de primeiro mundo.

O DIA QUE VOCÊ ME AMAR

Para chegar à pequena cidade de Gokarna e por fim ON BEACH foi uma verdadeira ralação de subidas e descidas por tortuosas estradas em aclive e declive

Eu te darei o céu, as estrelas e todos os meus mais valiosos tesouros. Mas no momento eu tenho apenas o meu AMOR que esperou todo esse tempo. Este lugar está marcado para sempre na memória e na pele de dois seres humanos que sabem como é difícil o amor em um mundo que parece mentira, em um mundo que não busca a vida.

Tuesday, March 24, 2009

Pense numa vaca metida, eu prometi para ela eu lhe daria um beijo e ela seria mostrada para alguns touros brasileiros...

Agora olhe só a pose da menina

Animal na Índia adora ser fotografado, esse galo não é hindu, ele mandou sua galinha se esconder.


Tem xinxim e acarajé, tamborim e samba no pé.... samba e inglês na Índia é pra brasileiro ouvir, ver e contar história.

Depois do hotel cinco estrelas em Ooty, eu fiquei nesse hotel que havia tantas estrelas que eu realmente eu não consegui contar, porque não havia nenhuma, mas foi o melhor lugar que eu já dormir na minha vida depois da rede do macaco.

Falando na rede do macaco, olha ele aí? Esse cara olhou pra mim, eu jogue um beijo e ele virou a cara com medo de Baba.

E lá vamos nós rumo à estrada

Isso é uma placa de transito.

Bom...o dono desse carro tem tanto amor em seu antigo calhambeque, que resolver fazer dele um atrativo para a sua oficina mecânica.

Buzine!!!!!!!!! Mas buzine muito meu filho!!! Durante os 2700km de estrada eu vi apenas três acidentes, a loucura do transito na Índia tem uma explicação lógica, se organiza-lo muita gente irá morrer :-(

Tuesday, March 17, 2009

BEIJOS NO ASFALTO DA INCREDIBLE ÍNDIA

Esse foi meu tempo, depois de viajar por quatro estados no Sul da Índia iniciado por Marshastra e seguidos por Tamil Nadul, Karnakata e Goa. Eu deixo para vocês curiosidades, lugares maravilhosos e bons exemplos que deveriam ser seguidos e para os brasileiros que queiram conhecer a Índia, vai aqui um conselho, nunca olhem a Índia com o olhar de um ocidental, se não tudo vira putaria


PELO CABELO DE GANGA

Da terra dos deuses nasce o Ganges que dá origem ao mito e a divindade।

A Índia unificou o natural e o espiritual tornando-a abençoada. Pelo Ganga desce a morte, a vida e o renascimento. Sandra escreveu um artigo interessante em seu Blog Indiagestão “O chão da Índia é sagrado”. A terra entrega o ser humano para o mundo com vida, tiramos dela o alimento, em cima dela comemos, fazemos os filhos, o amor, descansamos depois de uma longa jornada de trabalho e também dela tiramos a matéria-prima para construir nossa morada.


Por isso não podemos deixá-la morrer e nem guardar nossos mortos, porque a terra é vida e não morte. Você tem razão querida Sandra é preciso entender suas palavras olhando duas situações importantes, a espiritual e a geográfica, portanto tudo há uma explicação e com isso a Índia torna-se o solo mais fértil do mundo com a benção que escorre pelo cabelo da Deusa Ganga.

Sunday, March 8, 2009


Chamar a Índia de incrédula é fácil, escrever sobre ela é um desafio para o “INDIAG”, expor seus tabus fica a cargo da diretora indiana Deepa Mehta como o filme “FIRE”, ver e sentir o verdadeiro sentido da palavra “esperança” sob o olhar das imagens de “QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO?” é com o diretor inglês Danny Boyle e poder olhar esse país com desprendimento é para ALMAS SENSÍVEIS। Por isso eu faço das palavras da professora Sandra as minhas agora “a Índia é suja, fedorenta, mas é a minha Índia”. Minha visita à Índia teve um motivo pessoal, eu não sofri choque cultural por ser uma pessoa de hábitos simples. O que eu escrevo aqui não são críticas e nem reclamações, são situações vividas por uma brasileira que olhou a Índia apenas como um ser humano, que viu de perto situações absurdas e explicações mais absurdas ainda A Índia pode ser o país do absurdo, mas o meu país chamado Brasil é o país dos excluídos, para toda causa também existe efeito e se colocarmos o belo na frente do feio e tivermos de fazer uma escolha, com certeza escolheremos o belo, mas vale ressaltar também que nem tudo que é belo é realmente belo e nem tudo que é feio é realmente feio.








Na Índia o pouco se torna muito para a maioria das pessoas e mesmo que ela viva em processo de evolução social e econômica o povo indiano vive forjando o seu real valor, se perde milhões de rúpias por não saber ou não querer fazer com que o tradicional e o moderno andem lado a lado। O tempo não passa na Índia e nos dá tempo para repensar na essência do valor humano e viver um dia de cada vez, lembrando o quanto somos apegados ao mundo material e capitalista. Nós não podemos aceitar o mundo do absurdo e dos excluídos, mas também não podemos culpar a nós mesmo se um ser humano nasce pobre ou rico e questionar “por quê” tudo que não é aceitável é pior. A vida nunca será justa para ninguém, muitos nascem pobres e morrerão pobres e poucos nasceram ricos e morrerão ricos ou pode acontecer o inverso de situações, seja ele material ou espiritual. Não podemos escolher onde iremos nascer, mas podemos escolher onde iremos viver se a condição humana permitir, por isso é melhor tentar entender.






Então vamos oferecer o melhor que tivermos, mesmo que seja pouco ou quase nada, sem esperar nada em troca, a satisfação está em ver por um momento um sorriso estampado no rosto de uma pessoa que conhece muito pouco o que é felicidade, mesmo que isso dure o tempo do abrir e fechar de um olhar, nós não podemos resolver os problemas do mundo, mas se fizermos uma pessoa sorrir o céu se abrirá e Deus ficará satisfeito em ver crescer a pirâmide da esperança no mundo।









A maioria das pessoas que visitam a India reclama da sujeira, do fedor, do machismo, da submissão da mulher, do caos no transito, da higiene, da falta de educação, da bagunça e sem falar da falta de infra-estrutura que é geral। Sandra Bose tem razão ao usar a sinceridade em suas palavras “quem quer ver tudo limpo, funcionando e organizado, não vá para a Índia, vá para Europa” a Índia não é um lugar ideal para ser visitado “por pessoas limpas” lá se aprende que se sujar faz bem para o corpo e a alma.






















A Índia trouxe-me coisas boas e o meu melhor momento foi ver Bombay adormecer e acordar sem fechar os olhos para a vida, da janela do meu quarto eu pode ver a vida desprendida passar depressa।








Eu não sofri nenhum tipo de preconceito, talvez por parecer com uma mulher indiana, mas quando eu abria a boca para falar meu inglês abrasileirado acabava sempre virando o centro das atenções e quando falava sobre a Amazônia, era como falar de Marte Os indianos têm muitas curiosidades sobre o Brasil e foi na Índia que eu dei-me conta que o Brasil também tem várias Índias, pena que ambos se conhecem tão pouco O que a Índia sabe sobre nós brasileiros? Resume-se a carnaval, futebol e mulher pelada e o que nós sabemos sobre os indianos? Limita-se apenas ao machismo, nas vacas sagradas e na submissão da mulher NAMASTE









































Sunday, March 1, 2009










Agora eu sei que mato e rio não existe somente aqui na Amazônia, exageradamente falando, breve estará aqui uma postagem chamada DIÁRIO DE UM PLANETA CHAMADO ÍNDIA