Sunday, March 23, 2014

O MEIO DAS PALAVRAS



A expectativa da chegada de uma carta sempre causa inquietude, em especial se vier de alguém marcante, no entanto, estar apegado demasiadamente a algo pode inconsequentemente escravizar a mente, pois a chance do desapego abre atalho para a constância do novo.  
        
“Não planejava sentir alguma coisa por você, mas aconteceu. Sinto muito por isso!”
                               P.S. I Love You - Cecelia Ahern                                                                        
A última vez que escrevi uma carta era para uma das minhas professoras, naquela época eu não entendia o que era ser essencial, mas esse período passou, pois é preciso compreender que é vital saber que a regra mais significativa a ser aprendida é não esquecer daquilo que foi construído e que já se conhece.  

    “Você foi a minha vida inteira, mais eu ....Fui só um capitulo da sua.”
P.S. I Love You - Cecelia Ahern

Por anos desejei revê-la para dizer o quanto sou agradecida por ela ter sido a primeira pessoa que teve a curiosidade de ler o que eu havia escrito no meu caderno de aula. Porém, como sei que nunca mais a verei, penso que é preciso sempre dizer na hora tudo que precisamos dizer, especialmente se alguém é, ou foi importante para nós naquele momento, porque ainda há quem diga que é clichê abordar tema que fale da perda do amor ou de qualquer outra coisa. 
  




“A vida de ninguém é repleta de momentos perfeitos. E se fosse, não seriam momentos perfeitos. Seriam apenas normais. Como você conheceria a felicidade se nunca passasse pelas fases tristes?”  

                                P.S. I Love You - Cecelia Ahern